Postagens populares

sexta-feira, 13 de julho de 2012

SERVIÇAIS

Fulano me odeia.
Sicrano me xinga.
Beltrana me penteia

Os joelhos.
Que eles ajam
Mas sejam inominados
Como poeira ao vento
Que nos olhos cisca,
E nas ventas colhe

O fermento do ar.
Mas Fulana me ama,
Sicrana elogia-me,
Beltrana me ergue

pelas orelhas
e me serve seus mamilos

numa bandeja
com lábios
Postar um comentário