Postagens populares

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

ALMA DE INFINDA LAMA

Por vezes, desfruto da visão das águias.
Vejo ovos rachando nas palavras do vento.
Mas aprendo mais no que me dão os lentos
Pés que não cuido muito bem, rachados.

Quando desço, desço para o incerto grado,
Gauche no que meus pés falseiam.
O incrível foi ter gerado uma obra
Com alma de infinda lama e sobra.
Postar um comentário