Postagens populares

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

DESABO EM SUA CIDADE

Na cidade que é você
Escalo prédios concretos
Pontes construo de afetos
Mas caio sem ter porquês
Na cidade que é você
Corroem mágoas molduras
De espanto tecem figuras
Oxidadas faturas
De mistérios fazem torres
Que de tão altas assustam
Na cidade que é você
Ruas alagam qual rios
Sobem altos casarios
Seus sorrisos são metais
Estremecidos de frio
Na cidade que é você
Embalam tremores morros
Demônios morrem de vez
Amando os céus em socorro
Da cidade que é você
Postar um comentário