Postagens populares

sábado, 16 de fevereiro de 2013

OUTONO QUE MONTA E MUDA

A ruga que se acumula
Na face que o espelho humilha,
Grandes lábios que se fecham
Ao sangue bom da virilha.
O justo que se intitula
Na injusta lei que espezinha,
A lasca que nos desunha
No avanço da calmaria.
O susto que se acasula
No acaso que cose a zica,
O achaque que enclausura
E mal dissimula a vinha
Que o outono monta e assina
Na inevitável sina.
Postar um comentário