Postagens populares

sábado, 13 de abril de 2013

E SOFRE E CANTA E SANGRA

(E a esfera me ouve ao poço)

- Por que o poeta sofre e canta?
Por que seu sangue escorre, grosso,
E sua pele esconde o osso
De seu amor em letra branca?

Quando a vi
E alisei-lhe o rosto
Com o olhar
Houve música de tal forma ensurdecedora
Que me dançaram os tímpanos da pele


-Por que a lágrima faz lago,
E este sol parece chuva,
E este som parece nada,
E esta fome dela turva-me?

Quando a vi
E alisei-lhe o rosto
Havia nutrição
No seu sorriso explosivo
E me alimentei

-Se vou subir, subo, caindo,
E esta ave, voando, finge-me
A Musa Insone, parente de Eros,
Que dela parte e ao peito atinge-me.

Quando a vi
E alisei-lhe a face
Havia um frescor infrene
Nas gotas em sua língua
E me banhei

(Deu-me a Esfera uma cuspida,
Me estremecendo o fio da vida)
Postar um comentário