Postagens populares

segunda-feira, 1 de abril de 2013

NA FAIXA O HOMEM (reelaborado)

Um mendigo....
Que ardente apelo o
Faz ter dor por dentro?
Seu bafo deforma ou
Senta diferente?

Nas tetas da rua
As marcas de dente
São dele, são tuas
E de toda gente.

Em volta, monstros com pneus.
Um homem atravessa na faixa.
Com o que sobra, o asfalto.
De tanto mover os pés,
Quando grita, o grito é salto.

Nem bom, nem mau,
Em meio à fuligem
Da sua consciência
Em vertigem.

Descalço, no tronco
Dos pés, o machado
Do tempo. Invisível.
Ela está sorrindo
A andar, e, andando,

Procura um espelho,
Para seu ser côncavo.
Tem cheiro de sombra
O seu desencanto.
Postar um comentário