Postagens populares

terça-feira, 2 de julho de 2013

NÃO SEI DAS MUITAS FALAS

Não sei das muitas falas,
sei dos muitos silêncios
ante metas altas
e caminhos densos.

O silêncio ante as ruínas
da voz que existiu,
mesmo em seu canto
no sonho que seguiu.


Não sei das muitas balas
no ombro, peito e ventre.
Sei do revólver alçado
no gesto fóbico.
Postar um comentário