Postagens populares

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

SOU SER SOM CARNE

Sou som
embora não
sou enredo
embora roto
sou tempo de um espaço
por esticar de amor
na tua derme atemporal

Ser pedra
sempre dura
conceito
desfeito na cultura
do maleável

Sou vento
embora desventre
o ar com chagas adrede
escolhidas
no verso
por esticar

Ser pedra
nunca mole
frase
imersa no por chegar
daqui onde gero
o amor dentro
dos teus seios
a forcejar nos mamilos
do papel, lençol
onde te crio espumas
Postar um comentário