Postagens populares

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

SER SOL SAL OLHAR

Quebro meus dedos nas quinas do ser
E me embriago em suas tensões.
Frente ao papel, a mágica nas mãos.
De ser para o sol, no sal do olhar.

Dou o sangue, ouro esmagando.
Dou o sangue e o aço para o poema audaz.
E assim sou rei em um trono entre os dedos.
Postar um comentário