Postagens populares

quinta-feira, 6 de junho de 2013

MENTIRA COM PATÊ

Não sei nada.
Sou o zero da escada.
Não o papel para a sua cagada.
Me traga uma palavra-começo.
Um leão rugindo no desenho de um caderno infantil.
Minhas garras estão na pele molhada dos dias de chuva.
Quero a canção de algum sabiá.
De palmeiras onde eles não existem.
Quero um pacto com o que está por vir.
Quero a fumaça do som do primeiro universo.
Quero rastejar como o lagarto de cristal dos sonhos.
Sou um simulacro. Um sino atroz.
Sou uma mentira com dente caindo. O que quer sem querer.
Não sei nada de verdades.
Sou o zero da escada.
Sou o papel para tua cagada.
Cague e vá, Espelho Cagão.
Olha no espelho, Espelho.
Olha: sou teu espelho.
Olha no espelho.
Eu olhei em ti e não me vi logo.
Eu movi-me espelhado primeiro e aqui depois
Tenho um espelho lerdo.
Sou uma mentira com talento para verdades.
Postar um comentário